quinta-feira, 16 de abril de 2015

Envelhecer com dignidade

Esta semana fiquei duas noites e dois dias sem dormir. Apesar de ter sido efeito colateral de uma medicação, estranhei muito.

Não, não estranhei o fato de ter ficado esse tempo sem dormir nada. Estranhei a minha reação, o estado em que fiquei depois disso. Fiquei acabada! Parecia um zumbi, atordoada, zonza, sem conseguir coordenar corretamente ações e pensamentos. Logo eu que desde a adolescência até meus 20 e poucos anos varava noites numa boa, sem sentir nada de ruim.

Fui ao espelho, olhei a raiz dos meus cabelos. Ali elas estavam, branquinhas me encarando.
- Preciso pintar meus cabelos de novo. E já não posso mais esperar tanto entre uma pintura e outra.

Aproveitei que estava em frente ao espelho e comecei a olhar o meu rosto mais de perto.
- Espera... Essa ruga não existia. E essa marca de expressão aqui, como está funda! E minha pele, está fazendo uns desenhos estranhos nas bochechas, parece que os poros estão todos seguindo um mesmo padrão de desenho, que estranho... Meu nariz aumentou, não era assim, era mais fino na ponta. Meu olhar está um pouco mais caído. Opa! E essas manchinhas aqui? Elas não estavam aqui ano passado!

A saúde... Bom, essa merecia um capítulo à parte. O corpo já não acompanha mais a loucura do meu coração e de minha mente. Por mim já fui, já fiz mil coisas.
- Bóra corpo, vamos!!!
Que nada. Olha ele ali, deitado, cheio de dores aqui e ali, pedindo um arrego.

Outro dia recebi visitas aqui em casa. Um grupo de pessoas bem humoradas, "tudo gente fina". Daqui a pouco a conversa foi pra aquele lado estranho:
- Então, mas a dor que eu sinto aqui é demais, já tomei isso, aquilo e aquilo outro, mas nada resolve.
- Eu não tenho dor aí não, mas aqui é demais, eu travo quando me levanto da cama.
- Nossa, sei como é isso, além de travar também tenho problema nos ligamentos do joelho esquerdo...

Lembra quando você era pequeno e via as suas tias conversando sobre doenças e remédios? Mais ou menos isso, mas com uma diferença: quem estava ali na sala era eu.

Me peguei outro dia dizendo:
- Ah, mas no meu tempo é que era bom!
Meu Deus... eu falei a frase fatídica! Eu falei a frase que entrega a situação toda.

A verdade é nua, crua e dura. Eu estou envelhecendo.


Que loucura! Não tenho como expressar meus sentimentos a não ser dizendo QUE LOUCURA. Passou assim, num piscar de olhos. Quando vi já foi, já chegou, já era. Olho pra trás e penso:
- Gente! Mas como assim???

Aqui estou eu, com os meus quarenta e poucos anos. E pensa que dá pra relaxar? Não, não dá... Antes as senhoras de 40 anos se vestiam com vestidos floridos, cabelos curtos encaracolados, tamanquinho nos pés, óculos de aro grosso, tava tudo certo, tranquilo. Mas hoje... Parecem meninas de 25 querendo aparentar 18, uma corrida pelo corpo perfeito, pela pele perfeita, pelo cabelo perfeito.

- Mas gente! Isso não eram coisas das quais nos preocupávamos na adolescência? Não era pra gente estar de bem com a vida agora, cuidando do corpo sem neura?

Pois é.
Vai lá ver a velhinha de 75 anos, dá uma olhada como ela está. Parece que tem 40.

Então eu penso.... O que realmente importa?

Importa ser uma boa pessoa. Ser boa mãe, boa esposa, boa amiga, boa filha, boa irmã. Cuidar da aparência sem neura. Não correr atrás da juventude perdida, mas permanecer da melhor maneira possível dentro de sua idade. Aceitar as limitações. Não se conformar com o que pode ser mudado. Continuar sonhando e fazendo planos. Viver novidades, se aventurar. Ser útil. Fazer o bem. Envelhecer com dignidade.

E conforme os anos forem passando e as mudanças forem aumentando, sorrir.

Sorrir com a vida, com os acontecimentos, vivendo tudo intensamente, louvando a Deus por mais um ano de vida.

Sorrir pra que lá na frente, quando os passinhos estiverem curtos, as mãos estiverem trêmulas, a memória estiver falha, o olhar estiver embaçado e a voz estiver fraca, a vida tenha valido a pena.

De verdade.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Pensando mais uma vez...

Depois de 1 ano e meio sem escrever aqui, hoje me deu vontade de fazê-lo.

Estava lendo os posts por mim aqui colocados, fui lembrando das ocasiões onde foram escritos e
meu coração se encheu de alegria. Em cada post, em cada momento, em cada dia de cada mês de cada ano, a boa mão do Senhor esteve sobre mim me orientando, me ajudando, me consolando, me fortalecendo.


Hoje, nessa madrugada gostosa de sábado onde a insônia insiste em me acompanhar, sentada aqui no sofá de minha sala, paro para olhar a minha vida.

Estou com sérios problemas de saúde, mas em momento algum fui desamparada. Sinto o cuidado de Deus através dos meus amigos, das demonstrações de carinho e cuidado das pessoas, das orações feitas por mim. Sinto quase que palpavelmente Sua mão sobre minha vida, posso ver pela fé os Seus olhos que não se desviam de mim.

Olhando meu celular e meu computador vejo ali dezenas de mensagens e conversas extremamente produtivas. A tecnologia sendo usada por Deus em sua forma mais linda, para restaurar e transformar vidas.

Aqui, em um colchão no chão, meu filho dorme o sono dos justos. Veio ficar comigo até que eu fosse dormir. Dorme profundamente, deitado na mesma posição em que eu durmo. Ele é a minha alegria, sou completamente apaixonada por ele. Tive uma gravidez difícil, tive previsões médicas de que ele talvez não nascesse, que se a gravidez vingasse ele poderia ter sérias deficiências. Quase sofri aborto várias vezes. Mas aqui está ele, um menino que ama a Deus, um dos melhores alunos da classe, menino de raciocínio rápido, esperto, inteligente. Um milagre em forma de gente. E que gente linda!

No quarto está o amor da minha vida, o homem que Deus escolheu e separou para cuidar de mim e para ser cuidado por mim. O homem que me ama incondicionalmente, que me leva pra mais perto de Deus e me traz muita paz, em todos os meus dias. Que viveu comigo as maiores aventuras, que vive comigo todos os bons ou maus momentos, que prometeu que viverá comigo até ficarmos bem velhinhos, banguelas de bengalas.

Fecho os olhos e me lembro de tudo o que tive e vivi, de tudo o que tenho e vivo.

Dos tempos passados em família com parentes, dos dias felizes entre amigos, dos maravilhosos trabalhos realizados. Penso nos dias que ainda virão com muita esperança. O melhor ainda está por vir, tenho plena convicção. E meu coração se enche de alegria.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Mais 12 dias encarando o desafio

Continuando com o desafio de 30 dias fazendo um auto retrato, idéia original de A Beautiful Mess #ABeautifulMess
Aqui estão mais algumas fotos, do dia 08 ao dia 19!


Vamos ver se consigo completar o desafio!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Primeira semana do 30-day self-portrait challenge

Continuando com o desafio de 30 dias fazendo um auto retrato, idéia original de A Beautiful Mess #ABeautifulMess
Aqui estão as fotos de minha primeira semana!

Pessoas do mundo inteiro estão participando desta brincadeira que estimula a criatividade, desenvolve a noção de luz e sombras, formas, cores e proporções.
Também fiz um álbum no meu facebook com as fotos em tamanho maior :)
E você, ainda não encarou o desafio?

quinta-feira, 18 de julho de 2013

I'm in! 30-Day Self-Portrait Challenge.

*** DAY 1 (30-Day Self-Portrait Challenge) ***
Nesta bela noite de quinta-feira, me deparei com algo que achei sensacional.

Um blog, A Beautiful Mess, onde a autora fez um desafio chamado 30-Day Self-Portrait Challange (Desafio de 30 dias tirando fotos de si mesmo). 

Como aaaamo fotos, entrei nessa! I´m in!

Então, a partir de hoje, postarei as fotos tiradas durante 30 dias.
Só não te garanto que vou entrar aqui toooodo dia (talvez coloque vários dias em um só post, isso é mais a minha cara, rsrs).


Se você quiser participar desse desafio também, deixe nos comentários o link onde você colocará as suas fotos pra gente te acompanhar! Beijo!

quarta-feira, 3 de julho de 2013

E quando...

E quando você está totalmente despreparado e algo acontece, tirando o chão que estava sob os seus pés, lhe mostrando um abismo sem fim onde a escuridão parece te engolir num misto de desesperança e dor?

E quando você olha para os lados e, apesar de tantas pessoas e cores e sons, você não vê nada, não sente nada, não ouve nada? E a noite vem e você não consegue dormir e a noite vai e você ainda não parou de pensar e o dia vem e você precisa sair da cama mas ela te agarra e diz "fique aqui, não saia, não se mexa, não fale, não coma, não viva"?

E o tempo vai passando e as pessoas te cobrando, querendo te ver bem, exigindo de você uma postura, um sorriso, um olhar vibrante, uma palavra boa e feliz... e a cobrança só te faz mal, te faz se sentir um lixo, te faz se sentir um nada?

Conheço várias pessoas que estão assim nesse exato momento.
Passando por tudo isso, sentindo tudo isso, mas tudo isso escondido. Só elas e Deus, só elas e seus pensamentos, suas lutas, suas dúvidas e seus medos.
Quando finalmente conseguem sair da cama, colocam uma roupa, penteiam o cabelo, comem qualquer bobagem e enfrentam o dia. Mais um dia.

Para estas pessoas tão queridas e para tantas outras que não conheço, mas que estão se sentindo assim, digo que há uma esperança.

Deus criou você, Ele está vendo tudo: toda a situação, todos os detalhes e principalmente o seu coração. Ele sabe. Ele está cuidando de tudo. Só Ele pode lhe dar o consolo que ninguém é capaz de dar. Só ele pode envolver a sua vida de maneira completa, atingindo lugares obscuros e cantos secretos. Só Ele pode libertar você daquilo que insiste em te prender. Só Ele pode lhe dar um novo olhar a respeito de tudo o que você tem vivido, só Ele pode transformar o seu coração a ponto de você não entender como pode ser tão forte. Só Ele enviou Jesus Cristo, por amor a você, para viver, morrer e ressuscitar, vencendo a morte e garantindo a vida eterna a você, se você crer nEle. Uma vida eterna sem dor, sem sofrimento.

Fale com Ele. Abra o seu coração. Chore na presença daquele que tudo sabe e tudo vê.
Ele sabe quais são os seus limites e jamais irá cobrar de você algo que você não conseguirá fazer.

Que Deus lhe abençoe e lhe dê paz hoje.
E amanhã.
E depois.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Pátria amada

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido de amor e de esperança à terra desce... entre outras mil, és tu, Brasil, ó Pátria amada!


A ti, SENHOR, levanto a minha alma.
Deus meu, em ti confio, não me deixes confundido, nem que os meus inimigos triunfem sobre mim.
Na verdade, não serão confundidos os que esperam em ti; confundidos serão os que transgridem sem causa.
Faze-me saber os teus caminhos, SENHOR; ensina-me as tuas veredas.
Guia-me na tua verdade, e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação; por ti estou esperando todo o dia.
Lembra-te, SENHOR, das tuas misericórdias e das tuas benignidades, porque são desde a eternidade.

Qual é o homem que teme ao SENHOR? Ele o ensinará no caminho que deve escolher.
A sua alma pousará no bem, e a sua semente herdará a terra.
O segredo do SENHOR é com aqueles que o temem; e ele lhes mostrará a sua aliança.
Os meus olhos estão continuamente no SENHOR, pois ele tirará os meus pés da rede.
(Salmo 25: 1-6, 12-15)

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Provérbios

Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel;

Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência.
Para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a eqüidade;
Para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso;
O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos;
Para entender os provérbios e sua interpretação; as palavras dos sábios e as suas proposições.
O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.
Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe,
Porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.
Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.
Se disserem: Vem conosco a tocaias de sangue; embosquemos o inocente sem motivo;
Traguemo-los vivos, como a sepultura; e inteiros, como os que descem à cova;
Acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos as nossas casas de despojos;
Lança a tua sorte conosco; teremos todos uma só bolsa!
Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas;
Porque os seus pés correm para o mal, e se apressam a derramar sangue.
Na verdade é inútil estender-se a rede ante os olhos de qualquer ave.
No entanto estes armam ciladas contra o seu próprio sangue; e espreitam suas próprias vidas.
São assim as veredas de todo aquele que usa de cobiça: ela põe a perder a alma dos que a possuem.
A sabedoria clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz.
Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:
Até quando, ó simples, amareis a simplicidade? E vós escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós insensatos, odiareis o conhecimento?
Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.
Entretanto, porque eu clamei e recusastes; e estendi a minha mão e não houve quem desse atenção,
Antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes a minha repreensão,
Também de minha parte eu me rirei na vossa perdição e zombarei, em vindo o vosso temor.
Vindo o vosso temor como a assolação, e vindo a vossa perdição como uma tormenta, sobrevirá a vós aperto e angústia.
Então clamarão a mim, mas eu não responderei; de madrugada me buscarão, porém não me acharão.
Porquanto odiaram o conhecimento; e não preferiram o temor do SENHOR:
Não aceitaram o meu conselho, e desprezaram toda a minha repreensão.
Portanto comerão do fruto do seu caminho, e fartar-se-ão dos seus próprios conselhos.
Porque o erro dos simples os matará, e o desvario dos insensatos os destruirá.
Mas o que me der ouvidos habitará em segurança, e estará livre do temor do mal. 


Provérbios 1:1-33

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Chuva, chuvisco, chuvarada

"Chove, mas como chove
Chuva, chuvisco, chuvarada
Por que é que chove tanto assim?"

Quem tem filhos sabe cantar de cor e salteado essa musiquinha da turma do Cocoricó.

Nas redes sociais é sempre assim. Quando a chuva vem depois de um longo tempo de sol e calor, o povo se manifesta:
- Ah, que delícia, chuva!
- Que venha essa chuva maravilhosa!
- Chuva, ebaaaa!

E a música rola solta no gogó da galera:
"Chove chuvaaaaa, chove sem paraaaar!"


Mas é só passar três dias seguidos chovendo pra que os comentários mudem de humor:
- Essa chuva não vai mais parar não?
- Que chuva mais chataaaaa...
- Detesto chuva!

"Chove lá fora e aqui faz tanto frio..." 
Agora quem vai cantar melancolicamente são os que viveram bem os anos 80, ou os que os vivem até hoje nesse revival sem fim. 

Chove sim, mas é bom. Tudo o que Deus fez é bom.
Ela refresca, molha as plantinhas, irriga o solo, umidifica o ambiente...

E você que não gosta da chuva ou está cansado dela, corre lá fora tomar um banho de chuva por livre e espontânea vontade. 
Vai descobrir rapidinho como é legal cantar "I´m singing in the rain".

A menos que esteja muito frio.
Aí a música tem que ser outra.

sábado, 25 de maio de 2013

Mas que coisa!

Há muito tempo eu tentava entrar aqui para postar algo e sempre abria uma página indicando que o meu blog estava com malware, isto é, um software destinado a se infiltrar em um sistema de computador alheio de forma ilícita com o intuito de causar algum dano ou roubo de informações.
Estava bem chateada (ou #chatiada, como dizia Carla Perez, rsrsrs) porque gosto muito deste meu blog e não queria perdê-lo nem infectar o computador de meus leitores.

Mas enfim, consegui encontrar a solução em um site de ajuda: deletar todos os links do menu lateral . Lá se foram os links dos blogs de meus amigos e dos meus outros blogs que costumo escrever. Tive também que retirar o meu contador que já contabilizava mais de 11 mil visualizações. Pena, pena, pena.

Vou tentar recolocar o contador... se eu conseguir, vocês conseguirão vê-lo, simples assim.
Vou tentar recolocar alguns links, que medo! Kkkkk...

Bom, a vida continua e aqui estou eu, feliz da vida porque pelo menos não perdi o meu bloguinho querido, rsrs... Em breve retomarei as minhas postagens. Welcome back, baby!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Tempos difíceis

Em meio a tanta corrupção, de tantos atos de injustiça e crueldade que são realizados bem a nossa frente sem o menor pudor, de tanta gente pisando sobre o próximo pra subir de posição, de tanta canalhice descarada nos meios televisivos... 


Em meio a tempos de eleição, onde as nossas opções são tão poucas na hora de escolher alguém que realmente tenha caráter e uma vida exemplar para nos representar perante o governo... 
Em tempos de perseguição, seja ela feita abertamente sem o menor pudor ou sorrateiramente por meio de decretos e leis...
Em meio a dias que temos vivido HOJE, um texto se destaca a respeito daqueles que se decidiram a ter uma vida diferente, uma vida conduzida pelas orientações de Deus. A corrupção não se estingüirá deste mundo, mas podemos fugir dela e tomar a decisão de não compactuarmos com pessoas que as praticam.

"Assim diz o Senhor dos Exércitos: Pois certamente vem o dia, ardente como uma fornalha. Todos os arrogantes e todos os malfeitores serão como palha, não sobrará raiz ou galho. Mas para vocês que reverenciam o meu nome, o sol da justiça se levantará trazendo cura em suas asas" (Malaquias 4:1 e 2)

sábado, 1 de setembro de 2012

Carinho


Deus cuida das pequenas e grandes coisas :) Obrigada, Senhor.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Máquina do Tempo

Por esses dias vivi uma experiência surreal.

O pai de um velho amigo meu, faleceu. O velório foi num domingo a tarde, na cidade onde eu nasci. Eu estava lá e pude comparecer.
Seu pai era alguém muito querido, uma pessoa realmente especial. Toda a sua família é muito amada, por muita gente. É claro que o local onde ocorreria o velório estaria lotado.

Quando entrei, não entrei num velório qualquer. Entrei numa verdadeira máquina do tempo.
Ali revi pessoas que não via há mais ou menos 20 anos.

Meus amigos e colegas, de meu tempo de adolescente, estavam ali. Todos com idade entre 38 e 45 anos. A maioria deles casados, a maioria com filhos. Os cabelos brancos aparecendo, os quilinhos a mais se fazendo presente, as marcas de expressão salientes no rosto. Todos responsáveis, todos vivendo suas vidas de adultos.

Olhei ao redor e vi ali várias crianças e adolescentes. Pessoas que, naquela época, nem existiam.
Aqueles que antes eram adultos, agora já estavam entrando na terceira idade, com seus 60, 70 anos.
E os que já estavam na terceira idade? Sim, eles também estavam ali, com seus mais de 80 anos, com suas muletas, cadeiras de rodas, andando devagarinho ou sentadinhos, curvados, emocionados ao verem seu companheiro partindo para a vida eterna.

Um versículo me veio ao coração:
"Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio". (Salmo 90:12)

Eu olhava e não acreditava. Conseguia ver, apesar de tanta diferença, os olhares que me eram tão familiares. Pessoas que, ao me olharem, com certeza pensaram algo do tipo "nossa, como ela está diferente". Vinte anos não são vinte dias. Mas ao me olharem me sorriam, um sorriso sincero, cheio de saudosismo.

Talvez eles estivessem sentindo o mesmo que eu.
Afinal, estávamos todos ali, na mesma máquina do tempo.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Não sai da cabeça

Nesses últimos três dias o começo de uma música não sai de minha cabeça, enquanto rasgo e jogo várias coisas que já não tem mais razão para estarem aqui.

"Eu hoje joguei tanta coisa fora
Eu vi o meu passado passar por mim
Cartas e fotografias gente que foi embora
A casa fica bem melhor assim"

domingo, 25 de março de 2012

Crescendo

Passando pra dizer que tenho vivido momentos intensos, muito intensos.

Recebendo presentes de Deus inimagináveis, surpresas incríveis, verdadeiras provas de existência Daquele que não precisa provar nada.

Vivendo experiência profundas com Ele, ao lado de quem Ele me deu pra auxiliar e amar.

Vendo a herança que Ele me deu, meu herdeiro, meu filho querido. Vendo-o crescendo, fazendo manobras radicas nos brinquedos do parque, aprendendo a ler e escrever, fazendo 5 anos. Olho pra trás e não acredito na velocidade em que o tempo passou. Olho pra trás e agradeço a Deus por ter vivido intensamente cada dia ao lado do amor da minha vida, meu filho querido.

Vivendo intensamente este ano que é o último morando onde moro. Lugar privilegiado, cheio de pessoas maravilhosas que me marcaram profundamente e que deixarão muita, muita saudade.

Vivendo tempos difíceis de dor, de presenciar a fragilidade de quem amamos. Olhando e sentindo a terrível sensação de impotência, porém amparada pela certeza de que Aquele que tem tudo sob controle está cuidando de tudo, com muito amor.

Vivendo, absorvendo, aprendendo, me alegrando, sofrendo, rindo muito, chorando muito.
Crescendo.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

No mundo do artesanato

Sempre disse, a plenos pulmões, que artesanato não era a minha praia. Apesar de achar muito bonito o que minhas amigas e colegas fazem, eu não me dava muito bem com isso... Sempre gostei de customizar minhas roupas, modificar minhas bijuterias, transformar minhas coisas, mas encarava isso como "arte" e não "artesanato".
- Me coloque pra desenhar, pintar, esculpir, criar nos photoshops da vida, mas não me coloquem pra costurar, mexer com fitinhas, tecidinhos, miçaguinhas, rsrsrs...
Mas eis que hoje dou a mão a palmatória e admito: tem um artesanato que curti fazer!



São BOLAS DE NATAL. 
Mas não bolas quaisquer... Bolas revestidas em tecidos, com acabamento em soutache, pedrarias e penduricalhos. Agora, sempre que tenho um tempinho livre, me pego fazendo uma.


  

Fiz váááárias pra minha árvore de natal, já tenho encomendas pra várias outras e estou variando nos desenhos e cores.
Você também quer uma? Deixe uma mensagem que a gente conversa :)

domingo, 2 de outubro de 2011

12 anos juntos

Quando eu era pequena, achava que um dia conheceria uma pessoa perfeita pra passar o resto da minha vida. Achava que ela iria entender todos os meus defeitos e gostar de cada um deles a ponto de não se importar com isso. Achava também que ao lado dessa pessoa eu jamais choraria, jamais sofreria e que tudo seria lindo, um paraíso.

Então eu cresci.
Cresci e descobri que não existem contos de fadas... Não existe ninguém perfeito para outro alguém.
Mas descobri algo muito melhor que isso.

Descobri que existe alguém que me ama como sou, que respeita o meu jeito de ser, que não gosta dos meus defeitos mas sabe conviver bem com eles. Alguém que não consegue impedir que tempos maus cheguem, mas que sofre comigo. Que vive comigo os dias felizes, ri muito das minhas piadas e se diverte com as minhas bobeiras. Que vive experiências lindas e profundas com Deus, junto comigo, e que vibra ao ouvir aquilo que conto que vivi sozinha. Que respeita as minhas diferenças e tenta aprender com elas. Alguém que me compreende e tenta me compreender cada vez mais conforme os dias passam. Que ainda me olha com ternura, me ama com intensidade e me beija antes de sair e depois de chegar em casa mesmo depois de 12 anos de casamento, mesmo depois de 18 anos juntos. Alguém que me deu um filho lindo, o melhor que eu poderia ter...


Quando eu era pequena, achava que um dia conheceria uma pessoa perfeita. Mas depois que cresci, descobri que a perfeição está exatamente nas diferenças entre um e outro.

Rô, eu te amo. Como sou grata a Deus por Ele ter me dado você!
Parabéns pelo nosso dia, pelos doze anos de casamento!

Quero passar mais 12 anos juntos  e depois mais 12
e mais 12 e mais 12...
O acordo foi nos amarmos até ficarmos banguelas de bengalas, se lembra?

domingo, 14 de agosto de 2011

A menina, os esmaltes e Deus

Baseado em fatos reais.

Era uma vez uma menina que amava esmaltes. Poder mudar as cores das unhas sempre que queria era tão legal! Isso não fazia parte de suas necessidades básicas, mas era algo que ela gostava muito. E Deus sabia disso.


Um dia, Deus resolveu mudar o rumo de sua vida. Mudou seus planos, seus sonhos e seus caminhos. O coração da menina foi se transformando e foi, a cada dia, começando a bater mais e mais no mesmo compasso do coração de Deus. Suas prioridades mudaram, bem como suas necessidades, mas o amor pelos esmaltes continuou. Ela sabia que a partir daquelas mudanças não seria mais tão fácil ter o que queria, na hora que queria, fosse o que fosse. Já não bastava mais "querer para ter". Muitas coisas, agora, ela só teria se Deus as desse.


Lá estava ela, vivendo o cada dia, agradecendo por cada coisa que Deus lhe dava, por cada momento que Ele lhe proporcionava. Mas, ao olhar para as suas unhas, sentiu uma leve tristeza: 


"Deus, eu sei que devo me alegrar com o que o Senhor tem feito em minha vida, e verdadeiramente me alegro! O Senhor não tem deixado que me falte nada! Todas as minhas necessidades tem sido supridas...Sei também que posso abrir o meu coração para o Senhor. Sei que esmalte não é uma coisa importante, que não é uma necessidade e que posso muito bem viver sem ele. Mas queria tanto um esmalte novo! Queria tanto ver minhas unhas coloridas de novo...". Uma lágrima contida surgiu em seus olhos, mas a menina logo os enxugou e seguiu adiante.


Duas semanas depois dessa rápida conversa com Deus, algo aconteceu. Uma pessoa, que nada sabia sobre essa conversa, lhe presenteou com um pacote. Feliz com a surpresa, a menina abriu-o sem saber que aquela seria mais uma linda experiência com Deus. Dentro daquele pacote não havia apenas 1 vidro de esmalte. Dentro daquele pacote brilhavam, com todas as suas cores e nuances, OITO vidros de esmaltes! Oito esmaltes com as cores que ela tanto queria! Chorando muito, a menina agradeceu à pessoa que, sem entender muito bem o porque do choro, abraçou-a dizendo "eu só queria lhe dar um mimo".


Sim, aquele era um mimo de Deus à menina. Não era o suprimento de uma necessidade, mas um carinho de Deus a ela. E a partir daquele dia, a menina nunca mais deixou de ter esmaltes. Por onde quer que ela fosse, sempre havia alguém que lhe presenteava com um vidrinho e sempre com cores que ela ainda não tinha.


Em certo momento de sua caminhada, grandes problemas surgiram. Problemas graves que incluíam não só a sua vida, mas a vida de pessoas que ela amava. Enquanto chorava, pedindo a Deus que lhe desse forças e lhe orientasse nesse momento tão difícil, ela ganhou um presente de uma pessoa. Um esmalte. Então ela entendeu: Através de pequenas demonstrações de carinho, como aqueles esmaltes que ganhava "do nada", Deus estava dizendo a Ela que não se preocupasse com os grandes problemas. Na Bíblia está escrito que Ele cuida das aves do céu e as alimenta, que Ele veste os lírios do campo... Ele cuida de cada detalhe pequeno, não cuidaria dos grandes também? Ele estava cuidando de tudo. E ainda cuida.

domingo, 8 de maio de 2011

Amo ser mãe.


Amo ser mãe.  Amo curtir cada avanço do meu filhote, cada conquista, cada mudança, acompanhar bem de perto tudo o que ele vive. 

Amo ser acordada por ele de manhã com aquele beijo gostoso, com aquele abraço apertado e aquele sorriso lindo acompanhado de "bom diaaaa, tá na hora de acordaaarr"!

Amo quando ele vem, expontaneamente, me abraça e me diz "mãe, você nunca vai ficar sozinha, eu vou cuidar de você pra sempre".

Amo vê-lo abrir a geladeira sozinho e, ao pegar danoninho, pegar logo dois pra me dar um.

Amo vê-lo escorregar de papelão com os amigos na ladeira cheia de grama e terra.
Amo abrir a porta de minha casa para os seus amiguinhos entrarem e fazerem a maior folia! 
Amo colocá-los no sofá (depois de estarem exaustos por terem brincado muito), entregar a eles vasilhas cheias de pipoca e colocar filminho no DVD pra que brinquem de cineminha.

Amo dar banho nele, vê-lo brincar na piscininha no box como eu fazia quando tinha a mesma idade.


Amo vê-lo desenhar, pintar, imaginar e ser criativo.


Amo ouvir suas piadas, suas "tiradas", e dou muita risada com seu jeito sarrista.
.
Amo quando o ouço cantando as músicas que compus (isso é surreal).

Amo quando ele vem no escritório, me pede pra fechar os olhos e me beija, dizendo "eu só vim aqui pra te dar um beijo, pode voltar a trabalhar".

Amo poder trabalhar em casa, poder observá-lo o tempo todo, poder parar quando quero pra abraçá-lo e ficar com ele.

Amo ouvi-lo orando na hora do almoço, agradecendo a Deus pelo alimento, citando um por um, e pedindo a Ele para que abençoe "o papai, a mamãe, as vovós e vovôs, os tios e tias, e todos os amigos".

Amo carregá-lo no colo, mesmo sabendo que ele já está enorme.
Amo quando ele, cambaleando de sono, chega com a sua Bibliazinha ilustrada e diz "mãe, vamos fazer cultinho?"
Amo vê-lo tendo experiências com Deus, como na vez em que orou pedindo um caminhão amarelo e uma pessoa, sem saber de nada, trouxe exatamente o caminhão que ele queria na semana seguinte.

Amo vê-lo brincando com seus avós.
Amo enxergar nele características minhas e do meu marido.
Amo cuidar dele, ajudar a trocar de roupa, pentear o cabelo, fazer sua comida, ver desenho juntos, brincar juntos, passear juntos.
Amo vê-lo se divertindo com meu marido no dia da semana reservado só para os dois, chamado "dia do papai e filhinho".

Amo vê-lo me dando tchau quando saio de casa e ouví-lo dizer "tchau mamãe, divirta-se, vou sentir saudade!"

Amo rever fotos e videos dele e de nós com ele.

Esse é o quarto ano em que comemoro o "Dia das Mães". Amei vê-lo lá na frente cantando "Te amo muito mãe, Deus te escolheu pra mim" e me dando uma lembrancinha cheia de desenhos pintados por ele e uma foto sua, linda. 
Chorei.

Amo esse menino. 
Amo meu filho. 
Amo ser mãe.

sábado, 23 de abril de 2011

Tempo de Páscoa

A diferença entre o Deus a quem eu sigo e os outros deuses são muitas. Mas agora, nesse tempo em que falamos tanto sobre Páscoa, a principal diferença deve ser anunciada:

O meu Deus amou ao mundo de uma maneira tão linda que deu o seu único filho, Jesus, para que todos os que crerem nele não morram a morte eterna, mas tenham a vida eterna. 
Jesus, filho de Deus, 100% homem e 100% Deus, morreu... e foi morte de cruz, a pior da época.  Sofreu horrores antes de ser crucificado. Foi colocado morto no sepulcro, com uma pedra imensa e pesadíssima fechando a entrada. E depois de 3 dias, naquele local vigiado por guardas romanos, a pedra foi movida sobrenaturalmente e Jesus saiu dali, VIVO. 

Jesus ressuscitou e está vivo HOJE. Ele está, neste exato momento, me vendo escrever esse texto sobre Ele. Ele voltará e tem promessa de vida eterna a todos os que verdadeiramente entregam o comando de sua vida a Ele. E esse Deus ME AMA! Te ama...

Essa é a maior diferença entre o Deus a quem sigo e os outros deuses. 

Feliz Páscoa, com Jesus em nossos corações.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Quando o antigo se torna novo

Quando eu era pequena, amava desenhar e pintar. Aos 8 anos comecei a frequentar uma escolinha de artes com minhas amigas da 2a série, mas não gostei muito de ter que fazer exatamente o que a professora mandava.Eu gostava mesmo era de criar, pintar com minhas cores, fazer do meu jeito.

Mais tarde, já no ginásio, tive aulas de artes com uma professora linda chamada Cristina. Ela não faz idéia do quanto marcou a minha história com seu jeito alegre, com sua paciência e com a liberdade que me dava para criar: "Use a técnica, mas faça o que o seu coração mandar", ela dizia.

E então chegou a era dos computadores. Eu não sabia se um dia teria um, se seria muito difícil operá-lo, mas no primeiro dia de aula no colégio técnico em que eu estudava (fazia edificações, por gostar de desenhar) uma professora reuniu os alunos em uma roda no meio da sala e perguntou a cada um deles o que gostariam de fazer depois que se formassem, dali a 3 anos. Minha resposta foi certeira: "Quero trabalhar com desenhos no computador".

Olhando pra trás e me lembrando dessas ocasiões, vejo o quanto o meu coração já ansiava por essas coisas antes mesmo de eu saber direito como me envolveria nisso tudo.

Do Colégio Técnico, curso de Edificações, fui à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Pensei em fazer Publicidade, mas perdi minha carteira de identidade no dia da matrícula. Acaso? Não acredito em acasos... Na faculdade aprendi conceitos de cores, imagem, identidade visual, fotografia e também conheci o Corel Draw e o Photoshop, programas usados apenas para dar um "up" na apresentação final de nosso TCC (na época, TFG). Adquiri meu primeiro computador, comecei a brincar com esses programas...

Os caminhos que me levaram à Arquitetura me distanciaram dela cada vez mais após a minha formatura... e comecei a entender que aquela minha velha e verdadeira paixão ainda estava aqui, e tinha nome: Design Gráfico.
De lá para cá somam-se mais de 10 anos e nesse tempo todo eu foquei em meus conhecimentos técnicos, usando meu talento natural e meu auto-didatismo para criar e aprimorar meu trabalho.

Entre idas e vindas durante situações da vida, parei e continuei a exercer minha paixão que entendo claramente que seja um presente dado por Deus.

Perdi as contas de quantas vezes prestei serviços sem cobrar um tostão, apenas pelo prazer de criar, ver pessoas felizes e ver o nome do Senhor sendo glorificado através do meu talento. Minha recompensa era ouvir frases como "você consegue colocar em imagens os nossos pensamentos". Isso vale mais do que dinheiro.

Hoje volto a divulgar o meu trabalho de forma mais consistente. Meu filho cresceu, estou em um contexto onde posso e preciso trabalhar com mais afinco. Que Deus me ajude a cumprir os propósitos que ele tem para a minha vida e para a vida de outras pessoas através do Design.

Clique aqui para visitar meu blog "Tudo em Design", prestigie, divulgue, seja um seguidor se puder. E, caso precise de mim, estou à sua disposição :)
Um grande beijo.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Surfando nos mares de Deus

Criar um filho é uma das maiores oportunidades que temos de crescermos como seres humanos. O meu filho completou 4 anos este mês e perco as contas de quantas e quantas vezes aprendi coisas novas na tentativa de ensiná-lo.
Uma vez eu disse a uma amiga minha que acabara de ser tornar mãe: "Querida, ter um filho é ter um espelho diante de você". Conforme o tempo passa, você se depara com o melhor e o pior que há dentro de você... Muitas vezes é ele mesmo quem demonstra isso através das características que herdou da mamãe. Outras vezes é você quem se surpreende com suas reações e sentimentos, sejam bons ou maus. O fato é que, de verdade, nosso EU é escancarado diante dos nossos olhos.

A grande questão disso tudo é: o que fazer depois disso? Dizer que não tem nada a ver, ignorar os sinais e evidências e prosseguir da mesma maneira? Ou abrir o coração para que Deus transforme o seu ser, aproveitando essa oportunidade única?

Outro dia estávamos na praia. Uma amiga minha ensinava meu filho a dar as suas primeiras braçadas no mundo do surf. Lá ia ele todo confiante em cima do bodyboard, na beira da praia, quando na quinta vez uma onda maior veio por trás levantando a prancha e jogando o pequeno aventureiro para dentro do mar. Foi um belo capote, diga-se de passagem!

Eu só o via com os pezinhos pra cima e o corpo todo lutando pra subir. Foi questão de segundos, mas pra mim o tempo parou. Fui rápido ao seu encontro, contendo o grito que quase saiu a plenos pulmões, preocupadíssima com o que havia acontecido. Quando cheguei perto, minha amiga o levantou e ele, ao invés de chorar ou se desesperar, me olhou com carinha de "afoguei, mamãe" e fez "hang loose" com a mão, todo orgulhoso da sua manobra! Me responda: dá ou não pra aprender mil coisas numa situação como essa?

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Seguindo os passos do pai

Mês passado eu presenciei uma das cenas mais lindas que já vi do meu filho em relação ao meu marido.


Estávamos voltando da piscina, andando por um caminho aberto em meio a uma pequena floresta. Meu marido ia a nossa frente, caminhando mais rápido, e meu filho tentava pisar sobre as marcas molhadas que eram deixadas pelos pés do pai.

"Mamãe, estou tentando andar onde o papai andou."

Naquele momento, meu coração foi para muitos lugares. Me lembrei de quando eu, com 3 anos, colocava os sapatos enormes de meu pai e andava dizendo que queria ser como ele. Mas também me lembrei de quando eu, com 6 anos, disse que queria andar como Jesus andou. 

Lá se vão muito anos desde essa minha decisão e olhando para o meu filho tentando com dificuldade colocar cada pé em uma das pegadas do pai, pensei na dificuldade que muitas vezes temos em andar nas pegadas que Deus nos deixou. Mas naquele momento também percebi a alegria dele a cada passo em que conseguia colocar os pezinhos sobre as marcas... 


E lá estava ele, com certeza absoluta que, seguindo as pegadas, chegaríamos onde deveríamos chegar. Assim como acontece comigo quando sigo os passos que Deus me deixou, as pegadas de Jesus. Tenho certeza de que esse é o melhor caminho a seguir.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Falando em árvore de Natal...

Posto aqui uma matéria que acho ser bem relevante nessa semana de Natal. A tempo... que o SEU natal seja abençoado, alegre, cheio de amor e paz, mas principalmente na presença de Jesus, o homem cujo nascimento é a razão do Natal. Ele nasceu, viveu, morreu e ressuscitou, e por meio desta ressurreição temos esperança.


"À medida que o Natal vai chegando, questões como esta começam a aparecer. Como tudo na vida, é importante olharmos para estas questões com discernimento bíblico.
Neste caso, não vemos nada de errado com a tradicional árvore de Natal. Porém, alguns têm ensinado que é errado para qualquer cristão ter uma árvore de Natal em suas casas. Será que as razões para isso são válidas? Achamos que não. Vamos dar uma olhada nas duas objeções mais comuns que as pessoas fazem contra as árvores de Natal.


Primeiro, alguns são contrários às árvores de Natal por elas terem origens pagãs.
Acredita-se que Bonifácio,  missionário inglês na Alemanha do século oitavo, instituiu a primeira árvore de Natal. Ele supostamente substituiu os sacrificios feitos ao carvalho sagrado do deus Odin, por um abeto enfeitado em tributo a Cristo. Alguns outros afirmam que Martinho Lutero foi quem introduziu a idéia da árvore de Natal iluminada com velas. Baseado nestas informações podemos dizer que a árvore de natal tem um excelente pedigree cristão.


Porém, mesmo se um histórico pagão fosse claramente estabelecido, isso não necessariamente significaria que nós não poderíamos usar árvores de Natal. Talvez a analogia a seguir ajude.


Durante a II Guerra Mundial, os militares americanos usaram temporariamente algumas ilhas remotas do Pacífico Sul como pistas de aterrissagem e como depósitos de suprimentos. Antes daquela época, os povos indígenas tribais nunca tinham visto tecnologia moderna de perto. Grandes aviões cargueiros chegavam cheios de materiais, e pela primeira vez os nativos viram isqueiros (que eles achavam ser mágicos), jipes, geladeiras, rádios, ferramentas elétricas e uma enorme variedade de alimentos.
Quando a guerra terminou, os nativos concluiram que os homens que trouxeram a carga eram deuses, então eles começaram a construir templos para os deuses da carga. Eles tinham a esperança de que os deuses da carga voltariam com mais bens.




A maioria das pessoas sequer sabe sobre esta superstição religiosa. Da mesma forma, poucos sabem qualquer coisa sobre a adoração de árvores. Quando uma criança puxa um grande presente de debaixo da árvore de Natal e desembrulha um modelo de avião cargueiro, ninguém olha pra aquele objeto como um ídolo. Nem nós vemos a árvore de Natal como uma espécie de deus dos presentes. Nós entendemos a diferença entre um brinquedo e um ídolo tão claramente quanto entendemos a diferença entre um ídolo e uma árvore de Natal. Não vemos uma razão válida para fazer qualquer conexão entre árvores de Natal e ídolos de madeira ou adoração de árvores. Aqueles que insistem em fazer essas associações deviam prestar atenção nos avisos nas Escrituras contra julgar os outros em coisas duvidosas (vejam Romanos 14 e I Coríntios 10:23-33).


Outra reclamação comum é que as árvores de Natal são proibidas na Bíblia. Jeremias 10 é muito usado para dar apoio a este ponto de vista. Mas uma olhada mais de perto nesta passagem vai mostrar que o texto não tem nada a ver com árvores de Natal e tudo a ver com adoração a ídolos. O verso oito diz “querem ser ensinados por ídolos inúteis; Os deuses deles não passam de madeira.”
Adoração a ídolos era uma clara violação dos Dez Mandamentos. Êxodo 20:3-6 diz: “Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o SENHOR,o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus mandamentos.”


Não há conexão entre a adoração aos ídolos e o uso de árvores de Natal. Nós não devíamos ficar ansiosos a respeito de argumentos vazios contra as decorações de Natal. Em vez disso, deveríamos focar no Cristo do Natal, esforçando-nos com toda a diligência a lembrar a verdadeira razão de comemorarmos esta data.


(John McArthur)

sábado, 11 de dezembro de 2010

Dicionário

Acho que o dicionário consegue explicar o que estou sentindo esta semana:

Amigo - s.m. Pessoa a quem se está ligado por uma afeição recíproca: conservar, visitar os amigos.
Companheiro - s.m. Aquele que participa da vida ou das ocupações de outrem; colega, camarada: companheiro de trabalho, de jogos, de estudos.
Carinho - s.m. Carícia, afago, mimo. / Amor, ternura.
Amor - s.m. Afeição viva por alguém ou por alguma coisa
Despedida - s.f. Saudação no momento em que pessoas se separam.
Adeus - interj. Termo de polidez e amizade dirigido a alguém antes de uma separação mais ou menos prolongada. / &151; S.m. Despedida: dar o adeus, dizer o último adeus.
Abraço - s.m. Ação de abraçar: abraço de despedida.
Choro - s.m. Pranto, ato de chorar, lágrimas
Distância -  s.f. Espaço entre dois pontos. &151; Pode ser medida em quilômetros, metros, centímetros e muitas outras unidades
Distante - adj. Que dista, que está a certa distância: cidade distante de outra 10 km. 
Falta - s.f. Ausência: sentimos sua falta.
Coração -  Fig. Memória: trago seu nome gravado em meu coração (cf. cor). / Fig. Afeição; amor: conquistaste meu coração.// Coração de leão, grande coragem. // Coração mole, facilidade ou predisposição para comover-se, emocionar-se. // Coração de ouro, generosidade, grande bondade. // Abrir o coração, fazer confidências. // Cortar o coração, causar grande dor ou constrangimento. // Com o coração nas mãos, com toda a sinceridade. // De coração ou de todo o coração, com o máximo de empenho; com toda a boa vontade; com toda a sinceridade.
Saudade -  s.f. Recordação suave e melancólica de pessoa ausente, local ou coisa distante, que se deseja voltar a ver ou possuir.
Vazio - Fig. Sentimento angustiante produzido por saudade, privação ou ausência.

sábado, 27 de novembro de 2010

Efeito cumulativo

Hoje terminei de ler o livro "Todo filho precisa de uma mãe que ora", de Janet Kobobel Grant e Fern Nichols. O livro é profundo e intenso, do princípio ao fim, ótimo! Toda mãe deveria ler, mas na verdade qualquer pessoa se beneficiaria com esta leitura pois ele não só trata do fato de permanecermos firmes em nossas orações pelos nossos filhos, mas fala principalmente sobre a oração em si, sobre porque orar, e sobre Aquele que recebe nossas orações.
Deixo aqui um dos trechos que me chamaram a atenção, uma comparação feita por Wesley Duewel:
"Nossas orações têm um efeito cumulativo. A construção de uma barragem geralmente leva alguns meses, e depois de pronta, é preciso esperar alguns meses ou até mesmo um ano para a água se acumular atrás da barragem. Mas quando o volume de água atinge um determinado nível, as comportas são abertas e começam a movimentar os geradores, gerando uma tremenda energia. Semelhantemente acontece com nossas orações. À medida que as pessoas se unem em oração ou quando perseveram continuamente em uma oração, um grande volume de oração é acumulado, até que repentinamente as barreiras se rompem e a vontade de Deus se cumpre... Quando oramos de acordo com a vontade de Deus nossas orações nunca se perdem, mas vão se acumulando até que Deus as responda."
E então a autora complementa:
"A pessoa que permanece na parte seca da barragem não consegue ver a água se acumulando. Mas quando a água atinge o nível esperado, toda a energia acumulada irrompe de uma vez. Muitas vezes, permanecemos na parte seca da barragem, orando fielmente por um assunto. No entanto, temos a impressão de que nada acontece. Mas podemos estar seguros de que Deus ouve nossas orações e, no momento designado por Ele, manifestará todo o seu poder."

sábado, 13 de novembro de 2010

Teu amor é melhor que a vida!

Levei muito tempo para admitir que sou "compositora". Talvez seja porque na maioria das vezes em que componho não é porque me decidi a fazê-lo, mas porque uma melodia e uma letra surgiram em meu coração através de uma experiência minha com Deus.
O que acontece comigo é louco. Ouço as vozes, os instrumentos, a música completa em meu coração, mas não toco nenhum instrumento. Imagine como é difícil explicar a alguém o acorde que estou ouvindo, hehe...


Algumas músicas minhas vieram a público e tive a alegria de vê-las tocando vidas e levando pessoas a adorarem e glorificarem a Deus, assim como aconteceu comigo no momento em que as compus. Acredito que este seja o plano de Deus: exaltar Seu nome enquanto componho, exaltar Seu nome enquanto outros ouvem ou cantam, exaltar Seu nome através da transformação das nossas vidas.
Em 2005, num momento muito difícil de minha vida, numa noite de muita tristeza, uma melodia alegre surgiu em meu coração e passei a louvar ao Senhor, mesmo não entendendo o que estava acontecendo ao meu redor. Eu sabia que se houvesse uma letra, seria exaltando o nome Dele. Depois de alguns dias, lendo o Salmo 63, este se transformou na letra da música. 
Este ano, de uma maneira que só Deus faria, depois de alguns acontecimentos e conversas lindas, percebi que era hora de mostrar esta música. Acontece todos os anos no SBPV um evento chamado JUBILAI e este ano o tema era  "Salmos"... Deus usou duas pessoas para me ajudarem a cifrar a música, correr atrás dos músicos e dos detalhes da inscrição. Quando me dei conta, lá estávamos nós, eu e mais cinco pessoas ensaiando e gravando a música para o evento. No cd estão as músicas dos outros participantes do evento e o objetivo é que as pessoas levem essas músicas para as suas igrejas. Eu olhava tudo aquilo com uma imensa gratidão a Deus pois, mais uma vez, Ele fez muito mais do que eu havia imaginado.
Ontem tivemos a alegria e o privilégio de louvar e exaltar o nome do Senhor através da apresentação dessa música cujo título é "Só Tu és bendito".

SÓ TU ÉS BENDITO
(letra e música: Adriana C.C.Souza)


Tenho em meu coração fome e sede de Ti
Pois Tu és a razão de eu estar aqui
Só Tu és o meu refúgio, o meu abrigo contra o mal
Tua mão me sustém, me guia, me protege


Enquanto eu viver
Te bendirei


Quero contemplar-Te, avistar o Teu poder
Ver a Tua glória inundar todo o meu ser
Só Tu és bendito, só a Ti eu louvarei
Deus da minha vida, meu Senhor, meu grande Rei


Anseio por Ti, Tu és a minha alegria
Teu amor é melhor que a vida!
Anseio por Ti, Tu és a minha alegria
Teu amor é melhor que a vida!
Melhor que a vida!


Quero contemplar-Te, avistar o Teu poder
Ver a Tua glória inundar todo o meu ser
Só Tu és bendito, só a Ti eu louvarei
Deus da minha vida, meu Senhor, meu grande Rei
Te louvarei




Toda a honra e glória sejam dadas ao Senhor. E a vocês, instrumentistas e vocalistas que estiveram comigo nesse momento tão lindo: obrigada, de coração! Vocês foram os instrumentos mais bonitos que Deus poderia ter usado nesse momento :)